Ninfomaníaca

21dad-nymphomaniac-1-600x337

Depois da porrada chamada “Anticristo” e do poético “Melancolia”, eu esperava mais de Ninfomaníaca – Volume I, projeto em que Lars Von Trier lança seu olhar controverso sobre o tema mais tabu dos tabus: o sexo. O resultado final, porém, fica muito aquém do imaginado. “Ninfomaníaca” é um filme interessante, mas que fica em cima do muro e causa muito pouco impacto se pensarmos que Von Trier é o tipo do cineasta que não liga muito para concessões.

Um dos problemas de “Ninfomaníaca – Volume I” é que fica difícil analisá-lo em virtude de uma série de questões. A primeira delas é a declaração pública do diretor dizendo que desistiu do corte final da produção (um épico de mais de 5 horas que foi reeditado e dividido em duas partes para se adequar mais à lógica do mercado). Como saber que o que estamos vendo é a realmente a visão do autor ou uma releitura dos produtores? Depois, a própria lógica de duas parte não ajuda. Como entender a proposta do cineasta diante de um longa visto apenas pela metade e que não deixa muito claro suas intenções? [Favor não fazer comparações com filmes como “O Hobbit”, “Jogos Vorazes” ou “Harry Potter” e outras produções essencialmente narrativas divididas em partes para lucrar mais; o esquema aqui é outro]

Diante da primeira parte, o que se pode dizer é que Von Trier aposta na sua já familiar estrutura capitular e a uma série de flashbacks para narrar a história de Joe, que faz questão de se autointitular ninfomaníaca e uma pessoa má durante toda a duração do filme ao relembrar sua trajetória peculiar ao ouvinte erudito interpretado por Stellan Skarsgård e ao próprio espectador. Assistimos a sua relação com o pai e a mãe (os pouco explorados Christian Slater e Connie Nielsen), com uma amiga que de certa forma a introduz no mundo do sexo e logo em seguida a decepciona e uma série de amantes que pouco significam em sua jornada (com exceção de Shia LaBeouf).

Fazendo analogias entre sexo e pesca, equações matemáticas e uma música de Bach, o cineasta constrói ideias interessantes que são pouco desenvolvidas e perdem impacto diante de uma narrativa surpreendentemente didática e verborrágica. Sim, Lars Von Trier, o cineasta que nunca teme apelar para todos os recursos cinematográficos possíveis para defender suas ideias, dirige “Ninfomaníaca – Volume I” um tom abaixo do seu normal e sem o peso e a relevância de seus trabalhos anteriores.

nymphomaniac-official-trailer-1

Claro que, discorrendo sobre sexo, o longa traz um desfile de paus, bucetas, bundas e sexo explícito, mas, em pleno 2014, só quem fica ruborizado com isso deve ser as mesmas pessoas quem leem coisas como “Cinquenta Tons de Cinza”. O choque aqui parte muito mais da forma quase puritana com que ele parece julgar sua personagem, um poço de culpa e autopunição. “Ninfomaníaca – Volume I” é filmado quase como se Von Trier quisesse realmente nos fazer crer que Joe (a ótima Stacy Martin, na fase jovem da personagem; e Charlotte Gainsbourg, que pouco tem a fazer nesse capítulo, na fase adulta) é uma pecadora. Mas difícil saber se no seu volume final o cineasta vai subverter tudo e mostrar uma veia mais irônica ou transgressora que falta aqui.

Por enquanto, resta ao espectador alguns risos involuntários e um filme que discorre sobre sexo de uma forma um tanto apática, resultando em uma experiência sensorial das mais sem sensações possível. Não deixa de ser divertido de certa forma, é verdade. E essa primeira parte traz pelo menos uma grande cena e uma grande interpretação: Uma Thurman patética diante da situação mais constrangedora das situações constrangedoras.

Agora é esperar até março, quando estreia a segunda parte do projeto, e ver o que Lars Von Trier nos reserva. Ele já deu provas de que sempre pode surpreender.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s