Noite Passada em Soho

Edgar Wright é um dos diretores mais pop atualmente trabalhando em Hollywood, sabendo mesclar muito bem em seus filmes uma trilha sonora matadora com referências visuais, vide os descolados “Scott Pilgrim Contra o Mundo” e “Em Ritmo de Fuga”. “Noite Passada em Soho” é um dos trabalhos mais ambiciosos do cineasta, da elegância com que é filmado ao escopo que mistura suspense psicológico e terror.

O problema é que “Noite Passada em Soho” é basicamente isso, premissa e estilo. Com uma bela direção de arte, figurinos e fotografia, Wright filma tudo com esmero e propriedade, criando imagens sedutoras e marcantes. Mas a história deixa um pouco a desejar, revelando-se uma grande bobagem que remete a suspenses ruins dos anos 90, a um genérico das produções de Guillermo Del Toro ou mesmo a “Sweeney Todd” de Tim Burton.

Acompanhe Esse Filme que Passou Foi Bom também no Instagram

Eloise é uma garota interiorana que sonha em estudar moda em Londres. O sonho logo se realiza e ela cai na real que nem tudo são flores, com a falta de dinheiro e amigos, além das alucinações e sonhos que tem, atrapalhando seu caminho. Com histórico de problemas mentais na família, ela passa a enlouquecer com as visões que tem diariamente com uma cantora/dançarina dos anos 1960.

Um dos pontos fracos da trama é justamente o ponto central do filme, a forma como a protagonista (vivida por uma assustada Thomasin McKenzie) interage com a misteriosa Sandie (Anya Taylor-Joy). Ora a estudante de moda se vê como a cantora/dançarina dos anos 60, ora as duas são pessoas diferentes, em uma indecisão que parece não fazer muito sentido a não ser gerar bons efeitos visuais com o uso de espelhos.

Se a trama é uma bobagem (com direito a um desfecho que parece bem mais óbvio do que a premissa sugeria), não há como negar que “Noite Passada em Soho” seja uma experiência divertida e envolvente. Da paleta de cores à presença da ótima Anya Taylor-Joy, Wright cria uma experiência visual interessante que passa por cima das falhas da história. O resultado é irregular, mas é um passatempo digno e muito bem filmado.

Leia também:
Titane
Três filmes que giram em torno de redes sociais
Shiva Baby

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s